Saudade da querência.

das prosas de galpão,

do churrasco gordo,

do chimarrão e de outras coisas mais ...

Da gaita tocando,

da gauchada dançando

e do alvoroço dos animais.

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

ORACÃO DO CHIMARRÃO


Foto de riogrande.com.br








Senhor!
Quero agradecer-vos o Dom do chimarrão, fruto da erva-mate. Sua cor verde lembra-me a esperança.
A bomba do chimarrão sugando a água quente é sinal de vida. A cuia arredondada é símbolo de amor universal. A roda do chimarrão representa o calor do coração humano que une o gaúcho. Todos bebem na mesma fonte, na mesma bomba.
Senhor!
Agradeço o Dom do chimarrão como remédio para o corpo e estimulante para o espírito.
Agradeço também as diversas vitaminas e outros elementos provenientes da erva-mate, além de matar a sede, fortifica o organismo.
Senhor!
Fazei-me compreender que tomar chimarrão sozinho perde grande parte de sua eficácia, pois ele é uma espécie de oração ou liturgia comunitária, lembrando a Vossa Palavra: “Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, estarei no meio deles”.
Quantas estórias, anedotas e novidades contadas e estudadas ao redor do fogão a lenha espantaram o mau humor. Quantos problemas solucionados e quantas intrigas consertadas.
Senhor!
Quantos casais, famílias e vizinhos conservaram-se unidos por causa do chimarrão.
Senhor!
Até o silêncio entre uma e outra tragada do chimarrão pode converter-se em virtude. Casal unido pelo chimarrão permanece unido.
Obrigado Senhor pelo chimarrão!

Homenagem prestada à empresa pelo Colégio Estadual Mario Quintana (Barão de Cotegipe)